notícias
|

Polícia

04 de junho de 2011

ESTUPRADOR EM SÉRIE PRESO PELA POLICIA CIVIL

Um estuprador em série que vinha aterrorizando a região desde 2009 (pelo que foi apurado até agora) foi finalmente identificado e preso pela Policia Civil em um bairro rural de Bandeira do Sul, na noite de ontem (quinta-feira - 02). Vitor Donizete Pereira, de 49 anos, nascido em Campestre, foi o autor de pelo menos quatro estupros, dois deles seguidos de morte. Os crimes aconteceram no bairro Barreirinho (municipio de Machado), em Elói Mendes, em Campos Gerais e em Paraguaçu. Após a prisão, ele teria confessado ainda mais um estupro, também em Machado.
Pelo menos dois casos tiveram grande repercussão em toda a região. O primeiro deles foi o do estupro seguido de morte da empregada doméstica Nilcinéia Francisco de Oliveira, em dezembro de 2009.
Ela tinha 36 anos e trabalhava para o poço-fundense Renato Oliveira, pró-reitor do IFET. A mulher foi atacada quando voltava do trabalho, no bairro Barreirinho. O corpo dela foi deixado dentro de um matagal e descoberto por vizinhos. Na época, um homem que tentou estuprar a enteada e depois cometeu suicidio chegou a ser apontado como suspeito de ter cometido o crime.  O outro caso de grande repercussao foi o assassinato de Marli Aparecida Vilela, em janeiro deste ano, em Campos Gerais. Ela também foi estuprada e asfixiada, como Nilcinéia. O crime deixou toda a cidade em choque.
O homem foi apresentado em Poços de Caldas, na sede do Departamento de Policia, na tarde de hoje. Houve uma coletiva de imprensa e nossa reportagem esteve no local para ouvir os responsáveis pelas investigações e pela prisão. Todos os trabalhos foram comandados pelo delegado Cleovaldo Pereira, que atuou no caso desde a morte de Nilcinéia. "Estou sentindo um alivio enorme por termos conseguido chegar a este perigoso assassino e estuprador em série. Vamos fazer o possivel para que ele permaneça preso e, assim, nunca mais provoque dor a nenhuma familia de nossa região".
Já o acusado permaneceu de cabeça baixa e falou pouco sobre os ataques às mulheres. Num dado momento, chegou a afirmar que só falaria em juízo.
Depois da coletiva, ele foi levado para Varginha, onde cumpria pena (também por estupro) e estava foragido após ganhar o beneficio do regime semi-aberto. O próprio delegado Cleovaldo o conduziu à Delegacia Regional de Alfenas, onde ele passou por um novo exame de corpo de delito e depois transferido.

DETALHES, INCLUSIVE SOBRE O CRIME COMETIDO CONTRA A EMPREGADA DOMÉSTICA NILCINÉIA, VOCÊ ENCONTRA NO BLOG "EM FLAGRANTE".

Mais notícias do autor [+]
Comunidades
  • Não existem comunidades com a notícia
Relacionados
Carregando ... Carregando


comentar


comentários (0 comentários)

Diários Associados