Papo de concurseiro


30 de julho de 2014 16:13

Ironia do destino: candidata aprovada em concurso dos Correios não recebe carta de convocação

 


(Foto: Edílson Rodrigues/CB/D.A Press)


Lorena Pacheco – Do CorreioWeb

 

Uma candidata aprovada no concurso dos Correios, lançado em 2007, conseguiu na Justiça o direito de ser nomeada ao cargo de técnica em comunicação social (área de publicidade e propaganda). Ironia ou não, ela não recebeu em sua residência, no Lago Sul, em Brasília, o telegrama de convocação para realização dos exames pré-admissionais e perdeu o prazo.

 

O edital de abertura do concurso já previa esse tipo de situação e determinou que, nesses casos, deveria haver três tentativas de entrega, em horários alterados. No entanto, apenas uma tentativa foi efetivada.

 

A candidata recorreu à Justiça Federal e conseguiu garantir sua vaga em primeira instância. Mas os Correios recorreram da decisão alegando que a responsabilidade foi da candidata, pois ela não havia informado o endereço corretamente. Segundo a empresa, novas tentativas de entrega do telegrama seriam “desnecessárias” e “ineficazes”.

 

O Tribunal Regional Federal da 1ª Região, porém, foi a favor da candidata porque os Correios não esgotaram todas as possibilidades de entrega do telegrama.

Votos:
|

30 de julho de 2014 15:01

Provas do HFA são em setembro, confira dicas para aprovação

 

                         As colegas Ana e Braulina tentam conciliar estudos e rotina laboral

                                      (Foto: Pedro Henrique/Esp. CB/D.A Press)


Do Correio Braziliense

 

Cinco anos após o último concurso realizado pela instituição, em 2009, o Hospital das Forças Armadas (HFA) abre 190 oportunidades para nível superior e 135 para nível médio. Os cargos contemplam 26 especialidades diferentes.


Para ser habilitado na prova escrita, que deve ser aplicada em 21 de setembro, o candidato terá de fazer 50 pontos ou mais e não zerar em nenhum conteúdo. O concurseiro de nível superior poderá enviar diplomas e certificados para participar da avaliação de títulos, que, embora não seja obrigatória, tem caráter classificatório.

As provas escritas, tanto de nível médio quanto de nível superior, serão compostas por 60 questões e pouco diferem em conteúdo. Em ambas serão cobradas 10 questões de língua portuguesa e 10 de noções de legislação, além de 35 questões de conhecimentos específicos na especialidade para a qual a vaga é pretendida. Haverá ainda cinco questões de noções de informática para cargos de nível médio e cinco questões de políticas de saúde para cargos de nível superior.

“Não se iludam com provas fáceis de anos anteriores feitas pela banca examinadora, o Cetro Concursos. Ano passado, houve concurso da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), e a banca mostrou perfil mais complexo. Meus alunos não esperavam pelo jeito da prova, que estava mais difícil que de costume”, alerta Fabrício Dutra, professor de língua portuguesa do Gran Cursos. O professor orienta que os concurseiros tenham o hábito de ler, pois as questões são feitas a partir de textos que costumam ser cansativos. “Quem pratica a leitura não se cansa fácil. Quem domina regras de crase, pontuação e concordância tem grandes chances de conseguir pontos”, diz Dutra.

No conteúdo de noções de legislação — comum para as provas de níveis médio e superior —, será cobrada a Lei nº 8.112/1990. O professor de direito constitucional do Alub Concursos João Alexandre Viegas Costa Neto destaca que os estudos devem ser direcionados para provimento, vacância e regime disciplinar. “A banca não costuma cobrar jurisprudência e interpretação. É indicado focar na leitura do texto e na esquematização da lei”, afirma. Para saber regras, prazos e correlação entre os artigos da norma, não há para onde fugir: é preciso recorrer à memória. “Crie mecanismos que facilitem a memorização, como tabelas com prazos e tabelas relacionando arquivos. Os melhores métodos são de mnemônica”, aconselha o professor.

Correria para estudar
Candidatos que trabalham e estudam têm uma dificuldade a mais. É o caso da enfermeira Ana Carmosina da Silva, 48 anos, que tenta uma das 26 vagas da especialidade para o HFA. “Tenho que trabalhar e estudar. É muita correria. Paguei cursinho, mas vou dia sim, oito não”, diz. Colega de Ana, a enfermeira Braulina Coimbra, 46 anos, também entra na disputa. Para ter mais chances de aprovação, se inscreveu em mais de uma seleção. “Estou estudando para o concurso da Secretaria de Saúde do DF. Como as matérias são parecidas, aproveitei o embalo e fiz a inscrição no do HFA”, conta.

Para lembrar
Processo em que se estabelecem associações ou referências para tornar a memorização mais eficaz

 

O que diz o edital
Concurso público do Hospital das Forças Armadas

Cargos: 26 especialidades de níveis médio e superior
Remuneração: R$ 3.070,82 a R$ 4.182,90
Carga horária: 20h, 30h ou 40h
Inscrições: 9 a 28 de julho
Taxas: R$ 50 (nível médio), R$ 70 (nível superior, exceto medicina) ou R$ 90 (para médicos)
Prova escrita: 21 de setembro
Avaliação de títulos: 5 a 7 de novembro
Edital e inscrição on-line: www.cetroconcursos.org.br

Passe bem / LÍNGUA PORTUGUESA

Repito, Sofia comia bem, dormia largo e fofo. Chegara ao fim da missão das Alagoas, com elogios da imprensa; a Atalaia chamou-lhe “o anjo da consolação”. E não se pense que este nome a alegrou, posto que a lisonjeasse; ao contrário, resumindo em Sofia toda a ação da caridade, podia mortificar novas amigas, e fazer-lhe perder em um dia o trabalho de longos meses. Assim se explica o artigo que a mesma folha trouxe no número seguinte, nomeando, particularizando e glorificando as outras comissárias – “estrelas de primeira grandeza”.


Nem todas as relações subsistiram, mas a maior parte delas estavam atadas, e não faltava à nossa dona o talento de as tornar definitivas. O marido é que pecava por turbulento, excessivo, derramado, dando bem a ver que o cumulavam de favores, que recebia finezas inesperadas e quase imerecidas.


Sofia, para emendá-lo, vexava-o com censuras e conselhos, rindo:


— Você esteve hoje insuportável; parecia um criado. Sofia é que, em verdade, corrigia tudo. Observava, imitava. Necessidade e vocação fizeram-lhe adquirir, aos poucos, o que não trouxera do nascimento nem da fortuna. Cortou as relações antigas, familiares, algumas tão íntimas que dificilmente se poderiam dissolver; mas a arte de receber sem calor, ouvir sem interesse e despedir-se sem pesar, não era das suas menores prendas; e uma por uma se foram indo as pobres criaturas modestas, sem maneiras, nem vestidos, amizades de pequena monta, de pagodes caseiros, de hábitos singelos e sem elevação.


ASSIS, Machado de. Obra Completa. Rio de Janeiro: Editora José Aguilar, 1962. p.759. Adaptado.

Levando em consideração o texto como um todo e as orientações da prescrição gramatical no que se refere a textos escritos na modalidade padrão da Língua Portuguesa, assinale a alternativa correta referente a trechos do quarto parágrafo.


(A) No trecho: “Cortou as relações antigas, familiares, algumas tão íntimas que dificilmente se poderiam dissolver”, a substituição da expressão destacada por “poderia ser dissolvida” é correta gramaticalmente, mas implica prejuízo semântico.


(B) Nos trechos: “algumas tão íntimas que dificilmente se poderiam dissolver”, “despedir-se sem pesar” e “uma por uma se foram indo as pobres criaturas modestas”, as três ocorrências da palavra destacada têm o mesmo valor semântico.


(C) No período: “mas a arte de receber sem calor, ouvir sem interesse e despedir-se sem pesar, não era das suas menores prendas” é permitida a repetição da preposição “de” antes das duas últimas formas de infinitivo e recomendável a flexão no plural da forma verbal destacada.


(D) Infere-se que uma das maiores prendas de Sofia era fazer perceber aos amigos menos abastados que eles não tinham a vocação que ela trazia desde a infância: a sutileza de comunicar-lhes, efusivamente, que não poderiam mais estender a amizade.


(E) Os termos destacados nos trechos: “Sofia é que, em verdade, corrigia tudo”, “Necessidade e vocação fizeram-lhe adquirir” e “uma por uma se foram indo as pobres criaturas modestas” cumprem a mesma função sintática.

Resposta: Letra E

Comentário:
A) Ao fazer a transformação de vozes passivas — da passiva sintética para a passiva analítica — deve-se tomar cuidado com a concordância. O verbo empregado, na nova versão, estaria flexionado no singular: “poderia ser dissolvida”. No entanto, o referente desse verbo deveria fazer com que ele fosse flexionado no plural. Observe: “algumas tão íntimas que dificilmente poderiam ser dissolvidas.” Item incorreto.


B) Questão clássica que envolve reconhecimento do valor da partícula “se”. Na primeira ocorrência, a partícula é um pronome apassivador; na segunda, é uma parte integrante do verbo “despedir-se”, pronominal; na terceira ocorrência, é uma partícula de realce (expletiva), a qual pode ser retirada sem prejuízo para a correção gramatical. Item incorreto.


C) Quanto ao uso da preposição repetida, a opção traz uma informação correta. Contudo, quando a banca propõe que o verbo destacado deva ser flexionado no plural, comete-se erro de concordância com o núcleo arte. Item incorreto.


D) O comando “infere-se” significa “deduz-se”. Inferir, em provas de concursos, significa retirar do texto uma informação contida nas entrelinhas, a qual o texto permita que os candidatos depreendam. A informação que o enunciado da questão traz é contrário ao que diz o texto. Item incorreto.


E) Os três termos destacados pela banca funcionam como sujeito. A grande dificuldade foi constatar que o pronome oblíquo átono “lhe” pudesse exercer a função de sujeito. Quanto aos dois outros termos, não há dificuldade em reconhecê-los como sujeitos. O termo “Sofia” corrigia tudo. Item correto.

Questão retirada da prova da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) de 2013, comentada pelo professor Fabrício Dutra.

Votos:
Tags: Provas  do  HFA  são  em  setembro    confira  dicas  para  aprovação   

|

30 de julho de 2014 11:05

Banca erra notas de provas de candidatos do Metrô/DF

 


(Foto: Oswaldo Reis/Esp. CB/D.A Press)


Lorena Pacheco – Do CorreioWeb

 

Cerca de 50 candidatos do concurso aberto pela Campainha do Metropolitano do Distrito Federal (Metrô/DF) tiveram as notas das provas publicadas errado pelo Instituto Americano de Desenvolvimento (Iades), a banca organizadora. Trata-se dos inscritos ao posto de operador de transporte metroviário, que se declararam deficientes.

 

Segundo denúncia recebida pelo CorreioWeb, eles foram convocados para a realização do teste físico, mesmo sem ter conseguido obter a nota mínima na prova objetiva, conforme pode ser verificado no resultado da fase divulgado no dia 15 de julho.

 

De acordo com o edital de abertura do certame, apenas os aprovados nos exames objetivos estariam aptos para o TAF. Para tanto, é necessário alcançar o mínimo de 13 pontos com peso 1 na parte de conhecimentos básicos, e 13 pontos com peso 2 em conhecimentos específicos. O TAF foi realizado no último fim de semana normalmente.

 

O Iades alegou que tudo não passou de um erro técnico. O problema é que não foi computado o peso 2 na pontuação das provas, mas que todos os deficientes que foram convocados e fizeram os testes físicos foram aprovados na prova objetiva. A banca deverá informar o Governo do DF sobre o engano hoje, e a correção deverá ser feita até o início da semana que vem.

Votos:
Tags: Banca  erra  notas  de  provas  de  candidatos  do  Metrô/DF   

|

29 de julho de 2014 15:58

PF prorroga validade de concurso e diretor pede nomeações ao Planejamento

 

Lorena Pacheco – Do CorreioWeb

 

A Polícia Federal (PF) prorrogou por mais 30 dias os prazos de validade dos concursos com 600 vagas para delegado, perito e escrivão. O concurso foi homologado no dia 3 de julho, e, segundo o edital de abertura, tem validade de um mês com possibilidade de prorrogação apenas por uma vez.

 

De acordo com informações do site do Ministério do Planejamento, o diretor-geral da PF encaminhou um ofício no dia 30 de maio para que os aprovados sejam nomeados e empossados. No momento, a Assessoria da Secretaria Executiva do Planejamento está analisando o pedido.

 

O novo prazo de validade passa a vigorar no dia 2 de agosto.

 

A seleção ofertou 100 vagas para perito criminal, 150 para delegado e 350 para escrivão. No total, 166.052 pessoas se inscrevem para a primeira etapa da seleção. A concorrência para perito foi de 35.800 pessoas (358 pessoas por vaga), 46.633 tentaram o posto de delegado (310 por vaga) e 83.619 disputaram o cargo escrivão (238 por vaga).

 

Os novos servidores vão receber salários que vão de R$ 7.514,33 a R$ 14.037,11 para uma jornada de 40 horas de trabalho por semana.

Votos:
|

29 de julho de 2014 15:48

Defensoria Pública/PE quer abrir concurso para defensor ainda neste ano

 

Sílvia Mendonça – Do CorreioWeb

 

A Defensoria Pública de Pernambuco (DPPE) confirmou ao CorreioWeb que pretende realizar novo concurso para defensor ainda neste ano. De acordo com o órgão, serão ofertadas 15 vagas e formação de cadastro reserva. O salário inicial do cargo é de R$ 7.595,24, além de auxílio alimentação de R$ 1.068 e gratificação de R$ 1.519,05. A jornada de trabalho é de 30h semanais.

 

Para concorrer a posto, o candidato deverá possuir diploma de nível superior em direito, além de registro na Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e atuado na área por, no mínimo, dois anos como advogado ou técnico de instituição jurídica.

Votos:
|

29 de julho de 2014 14:57

Quase mil aprovados da PRF ainda aguardam nomeação

 


(Foto: Adauto Cruz/CB/D.A Press)


Os classificados deveriam ter atuado durante a Copa do Mundo


Lorena Pacheco – Do CorreioWeb

 

Com mais de dois meses após a formatura no curso de formação, cerca de 950 aprovados no concurso com 1.000 vagas da Polícia Rodoviária Federal (PRF) aguardam nomeação. Segundo denúncias, a expectativa era de que eles já estariam em exercício na Copa do Mundo, mas até hoje aguardam autorização do Ministério do Planejamento.

 

De acordo com a PRF, o cronograma do concurso foi montado já pensando no reforço que o Mundial demandaria. A formatura dos classificados e a homologação do certame aconteceram no dia 23 de maio, a tempo, inclusive, das nomeações não coincidirem com o impedimento da lei eleitoral.

 

Nesse mesmo dia, a PRF afirma que enviou um pedido para nomeação dos futuros policiais ao Planejamento, mas não obtiveram sucesso.

 

A assessoria do MPOG afirmou apenas que o processo ainda está em análise pela pasta e que não pode adiantar nenhum trâmite enquanto uma decisão não for tomada. De acordo com o Controle de Processo e Documento do ministério, o pedido está no gabinete da ministra desde 4 de julho.

Votos:
Tags: Quase  mil  aprovados  da  PRF  ainda  aguardam  nomeação   

|

29 de julho de 2014 12:34

Justiça sentencia DNIT a cancelar contratos de terceirizados

 


( Foto: Adauto Cruz/CB/D.A Press )


Sílvia Mendonça – Do CorreioWeb

 

A Justiça do Trabalho considerou ilegal a contratação de funcionários terceirizados pelo Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT). De acordo com a decisão, em primeira instância, o órgão deverá pagar multa de R$ 1 milhão para compensação de dano moral coletivo, além de pena de multa diária de R$ 1 mil por trabalhador envolvido, se não cumprida a sentença. A ação civil pública que questiona as contratações foi interposta pelo Ministério Público do Trabalho.

 

Os postos em questão são de chefe de posto, chefe de equipe, emissor operador de equipamento, fiscal de pista, motorista e auxiliar de serviços gerais. Segundo a assessoria do Tribunal Regional do Trabalho da 10ª Região (TRT-10), no Distrito Federal e Tocantins, o DNIT entrou com recurso no começo do mês contra a sentença. O mérito ainda não foi julgado.

 

De acordo com o juiz responsável pelo caso, Rogério Neiva Pinheiro, ficou comprovado que os cargos exercidos pelos terceirizados são considerados atividades-fim do órgão. Neiva ponderou que, em outras áreas institucionais do Poder Executivo, os mesmos postos poderiam ser considerados atividades-meio, mas como se trata de órgão responsável pela fiscalização de rodovias federais não há dúvida.

Votos:
|

28 de julho de 2014 15:55

Fiocruz altera data de provas e não publica retificação no DOU

 

Lorena Pacheco – Do CorreioWeb

 

O Ministério Público Federal na Bahia (MPF/BA) enviou à Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) recomendação para que as alterações referentes a seus concursos públicos sejam publicadas no Diário Oficial da União. Um certame da instituição, que deveria ter as provas aplicadas no dia 30 de março, teve a data de aplicação alterada para 6 de abril, mas a retificação só foi divulgada na parte lateral do site da banca organizadora.

 

Segundo o ministério, a Fiocruz têm 10 dias, a contar a partir do recebimento da recomendação, para decidir e informar se acata a sugestão. Caso contrário, o MPF alerta que pode levar o caso à Justiça.

Votos:
Tags: Fiocruz  altera  data  de  provas  e  não  publica  retificação  no  DOU   

|

28 de julho de 2014 15:25

Após brigar na Justiça contra terceirizados, merendeira passa em concurso

 


(Foto: CB/D.A Press)


Manoela Alcântara – Do Correio Braziliense

 

Aos 8 anos, Magna Pereira da Silva sabia que havia nascido para cozinhar. Começou com os ensinamentos dos pais. Aos 15, fazia cursos de doces e de bombons. Com a prática, ganhava elogios de todos os que provavam cada iguaria. Só nunca imaginou que poderia complementar o que aprendeu na cozinha em uma universidade. Muito menos que se realizaria profissionalmente com a culinária. Deu o primeiro passo, quando conseguiu ser aprovada como merendeira da Secretaria de Educação. Na época, estava na reta final do curso de gastronomia. Era pouco para a moradora de Ceilândia. Aos 40, com uma especialização no currículo, Magna perseverou e conseguiu entrar para o mestrado na Universidade de Brasília (UnB).

Mas foi difícil chegar à academia para iniciar o processo de se tornar mestre. Magna passou percalços, que envolviam falta de dinheiro e de apoio, preconceito e até problemas de saúde na família. Todos superados pela certeza de que “a vida só se transforma por meio da educação”. A convicção começou muito cedo, mas só pôde ser aplicada depois dos 36 anos. Isso porque, aos 16, ela engravidou. Teve uma filha. Concluiu o ensino médio com a ajuda dos pais no cuidado com a menina. E foi justamente a maternidade precoce que mostrou a ela o potencial da capacitação.

A tecnóloga em gastronomia fazia questão de ensinar todos os deveres à pequena. “Deu muito certo. Com 17 anos, ela passou na UnB pelo Programa Avaliação Seriada (PAS). Quis mudar de curso e foi aprovada no vestibular”, conta, orgulhosa. Magna casou e teve outros dois filhos. A família acreditava que ela deveria passar em um concurso para ser bem sucedida. Com o apoio do marido, estudou para diversos certames. Foi aprovada para a Secretaria de Saúde do DF, mas não era o que imaginava. Deixou o cargo.

Aos 36 anos, decidiu que entraria em uma universidade. O problema é que a gastronomia custa caro, e ela não tinha dinheiro para pagar. Passou em dois vestibulares. Um deles, o da Universidade Católica de Brasília (UCB). Sabia que não podia pagar, mas foi até a secretaria e tentou uma bolsa de estudos. “Eles me orientaram a fazer a matrícula e, depois, pedir a bolsa. Mas onde conseguiria os R$ 700 que me pediram na época?”, questiona. Deu um jeito. O pai emprestou R$ 200; o marido R$ 200; e outras amigas completaram o valor. “Depois disso, consegui a bolsa de 100%”, relata.

Durante o curso de tecnóloga, com duração de dois anos, aprendeu muito da culinária sofisticada, aperfeiçoou os conhecimentos em pratos mais simples e ainda adquiriu noções de higiene e de conservação dos alimentos. Apesar de todos os pontos positivos, percebeu que o curso precisava de pessoas mais sensíveis, que aproveitassem os conhecimentos empíricos dos alunos. “Isso me fez querer ir além. Pensei que, se pudesse dar aula, poderia fazer diferente”, afirma.

Experiência
No fim do curso, em 2010, Magna foi chamada para assumir o cargo de merendeira na Secretaria de Educação. Ela lutou para conseguir a vaga. Teve de entrar na Justiça, pois o governo da época havia contratado terceirizadas, mesmo diante de uma lista de aprovados no concurso à espera de um espaço. “Já tinha as noções de higiene e dos equipamentos a serem usados. A minha cozinha era um brinco, todos gostavam”, conta. Em pouco tempo, assumiu um cargo na direção.

Com a filha e o genro na UnB, a vontade de estudar só cresceu. Os dois a incentivavam com frequência. “Teve um seminário e decidi ir. Era na área de turismo. Conversei com uma coordenadora, e ela disse que gastronomia tem tudo a ver com o tema.” Magna decidiu fazer o mestrado.

Ciente de que não conseguiria conciliar trabalho e a pesquisa, pediu licença remunerada. “Muitos tentaram impedir. Como assim, uma merendeira fazer mestrado? Não desisti.” A persistência valeu a pena. O processo dela chegou ao secretário de Educação do DF, que não pensou duas vezes antes de autorizar. “Quando as pessoas me olham feio,digo: foi o secretário que autorizou o meu mestrado.”

O próximo passo? Doutorado. Magna quer continuar na carreira, mas também pretende ser professora. “Batalhei pelo cargo de merendeira. É o que gosto. Agora, quero ensinar o que sei para as pessoas. O meu projeto vai mudar a visão de muita gente sobre a gastronomia simples, brasileira”, analisa. Com o tema A gastronomia regional das tradicionais feiras do DF como potencializador turístico, a merendeira pretende mudar o pensamento das pessoas a respeito desse tipo de comida. “Só porque é em um ambiente humilde, pensam que é mal preparada, mas é o contrário disso.”

Votos:
|

28 de julho de 2014 14:35

Antaq: professor dá dicas sobre administração financeira e orçamento público

 

Sílvia Mendonça – Do CorreioWeb

 

O concurso com 143 vagas da Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq) já está com inscrições abertas e não há tempo a perder nos estudos. Para ajudar os concurseiros, o CorreioWeb convidou o professor de administração financeira e orçamentária e orçamento público do IMP Concursos Anderson Ferreira para comentar o edital e dar dicas para aprovação. Os cargos ofertados são de analista administrativo formado em qualquer curso superior, ou em ciências contábeis e informática, com salário de R$ 10.543,90; especialista em regulação de serviços de transportes aquaviários, com remuneração de R$ 11.403,90; além de técnico administrativo (R$ 5.418,25) e técnico em regulação de serviços de transportes aquaviários (R$ 5.674,25), ambos para nível médio.

 

Confira o edital de abertura .

 

Interessados podem se inscrever no site do Centro de Seleção e de Promoção de Eventos da Universidade de Brasília (Cespe/UnB), até 13 de agosto. As taxas vão de R$ 80 a R$ 120.


Votos:
|


« primeira    « anterior    
Mostrando (751-760) de 4453 resultados.